banner

18 de Setembro de luto

in Poesia
16. 09. 26

pctpmrppluto

18 de Setembro de luto

Recebemos do nosso leitor Asdrúbal Mil-Folhas, mais um pequeno contributo, que visa chamar a atenção para a atitude ditatorial que Arnaldo Matias de Matos exibe perante os militantes e simpatizantes do PCTP/MRPP, que se viram privados de comemorar a data da fundação do MRPP, sem que o jornal Luta Popular tenha feito qualquer menção a esta data.

I
18 de Setembro, para o MRPP
Era uma data cheia de glória!
Ao fim de 46 anos de vida
Já entrou para a história!

II
Comemorado sempre neste dia
Com um significado impactante!
A data da sua criação é lembrada
E festejada por todo o militante!

III
Noutros tempos os festejos
Marcados com comícios e sessões!
Foram durante muitos anos
Motivo de várias opiniões!

IV
Foi preciso chegar a 2016
Para Arnaldo negar esta data!
O partido “esqueceu-se” deste dia
Desde que ele lá pôs a pata!

V
No tempo dos “liquidacionistas”
Foi sempre data a assinalar!
Arnaldo Matos “revolucionário”
Nada publicou no Luta Popular!

VI
Criticava tudo e todos
Este “herói” da dialéctica!
Agora escreve a metro
De uma forma bem patética!

VII
Não houve ninguém a reclamar
Pela falha na comemoração!
A seita não pode abrir o bico
Sem ter a sua autorização!

VIII
A bandeira foi sempre vermelha
Não merecedora desta gentalha!
Agora tornou-se toda negra
Ao serviço desta escumalha!

Asdrúbal Mil-Folhas

 

Director: Carlos Fidalgo - carlos.fidalgo.10@sapo.pt