banner

Afinal Arnaldo Matias de Matos também tinha papéis do Panamá

in Poesia
16. 05. 25

Estava eu num bêco sem saída
Enrascado como sempre, claro está!
Vai daí os “camaradas” amigos
Arranjaram uns papéis do Panamá! 

Caiu que nem ginja de Óbidos
Este artigo no núcleo duro!
A cereja em cima do bolo
O artigo salvador do “Luminoso Futuro”! 

Para enganar os incautos
Escolheram o “Artigo da provocação”!
Unidade Panamiana à séria
Que até provoca alucinação! 

Somos proletários unidos
Diz Arnaldito já tam tam!
Consigo enganar estes aqui
E agora é a vez do Gaytan! 

São muitos os que equacionam
Se Arnaldo tem saúde mental!
Na resposta aos panamianos
Já responde p’lo Comité Central! 

Abençoados papéis 
Que no colinho me caíram!
Tenho desculpa p’ra tudo
Quem paga, foram os que saíram! 

Tenho escrito tanto artigo
Que estou cheio de olheiras!
Agora já arranjei desculpa
Para saltar as fronteiras! 

Enquanto estiveram os “outros” a dirigir
Disse-lhes: Olhem os operários de cá!
Agora que estou eu a mandar
Viro-me para o PCM-L do Panamá! 

Digo aos marxistas-leninistas
Uni-vos a nível mundial!
Este ano para passar férias
Vou p’rá América central! 

Destino dado de bandeja
Tenho de conhecer outros mais!
Vou a um sítio que se veja
E a seguir mais Capitais!

 

Asdrúbal Mil-Folhas

Director: Carlos Fidalgo - carlos.fidalgo.10@sapo.pt