banner

Esclarecimento a Arnaldo Matos

17. 01. 05

escrita

Esclarecimento a Arnaldo Matos

Escrevo este artigo, como todos os anteriores, por iniciativa própria devido ao último artigo de Arnaldo Matos publicado no Luta Popular Online.

Neste mesmo artigo o senhor volta mais uma vez a referir-se a Vladimir U. como sendo o nome utilizado por Garcia Pereira. Desta forma venho esclarecer Arnaldo Matos do seguinte: Não sou Garcia Pereira, nem de perto nem de longe mas agradeço porque o recebi como um elogio apesar de não conhecer Garcia Pereira pessoalmente.

Se tivesse sido confundido como sendo Arnaldo Matos, aí sim, não gostava que me confundissem com alguém como tu!

Oh Arnaldo tu não me conheces, eu não te conheço apesar de já termos estados juntos pelos menos uma vez, sentados lado a lado. Não trocámos nem dois dedos de conversa e hoje fico aliviado por isso. Mas eu consigo cheirar a podridão de um pequeno ditador fascistóide como tu, a quilómetros de distância.

Se me quiseres conhecer mais um pouco, posso-te dizer que parte da minha infância foi na RDA, onde depois voltei, depois de concluir os estudos e continuei a ser um comunista no activo apesar de estar num país onde essa ideologia foi proibida pela lei. Nessa fase, eu e muitos dos meus camaradas não tivemos de enfrentar não apenas a repressão policial alemã, como também diversos grupos de neonazis, que se têm formado por toda a europa e que pancada era o mal menor.

Como não te conheço nem pretendo conhecer por aqui me fico, porque pseudo comunistas (6000 euros só na estadia das tuas férias!) como tu, prefiro ignorar e um dia tentar limpar como se limpa um dejecto de um cão, de um passeio. Talvez um dia estejamos frente a frente, mas acredita que não será bom para ti nem para a carneirada do reumático que te acompanha, porque desses não tenho medo, se forem suficientemente homens para estarmos cara a cara, porque sei que por vezes o teu hábito é mandar alguém aplicar os justos correctivos, principalmente por tudo aquilo que tenho escrito na sede em Lisboa, no muro do outro lado da estrada e outras coisas que sabes quais são.

A propósito das actividades que vão acontecer em diversos locais sobre a revolução russa, uma coisa é certa: Não te convidaram nem serás nunca convidado porque ninguém está para aturar a tua esquizofrenia, má educação, despotismo e falta de argumentos. Sim, falta de argumentos porque o único que tens é chamar todos de anti-marxistas, se não concordarem com os disparates e mentiras, que largas a toda a hora.

Desta maneira, claro está, agendas um esclarecimento sobre a revolução russa no PCTP/MRPP onde não terás contraditório, porque apenas estarão presentes a tua carneirada que nem se atrevem a contradizer aquilo que cospes para o ar. Depois dizes que as tuas teorias dão a volta ao mundo: Epá, não me faças rir, só se for o mundo que gira à volta do teu umbigo.

Acredito é que o ano de 2017 será de novo um ano de revolução, sobretudo no PCTP/MRPP onde tudo já cheira tão mal como a Rússia dos Czares.

Vladimir U.

Director: Carlos Fidalgo - carlos.fidalgo.10@sapo.pt