banner

O estado de abandono em que se encontra o PCTP/MRPP

16. 06. 04

Passo a publicar contributo recebido do nosso leitor Rogério Aveiro.

O estado de abandono em que se encontra o PCTP/MRPP, após o golpe interno de Outubro passado, é visível nas grandes e também nas pequenas coisas. Aqui fica mais um exemplo da bandalheira e do desprezo ideológico a que se chegou: Aceda-se ao site do partido em www.pctpmrpp.org, nota-se que é um site desactualizado. 

A notícia mais recente (consultado hoje, último dia de Maio) é datada de 19 Março - mais de dois meses sem actualização. Ou o partido não tem gente que escreva ou o mundo parou... ou então já não tem nada a dizer a quem o consulta. 

Faça-se ainda o seguinte exercício: na página inicial, no menu superior a negro, clique-se em LIGAÇÕES, o terceiro link a contar da direita. Abre-se uma nova página. Esqueça-se o desactualizado apelo ao voto para “as próximas eleições de 4 Outubro de 2015” (???). Concentremo-nos no lado esquerdo onde se encontram dois links solitários: “Luta Popular” e “Biblioteca Vermelha”. Clique-se em “Biblioteca Vermelha”, o link que em teoria deveria dar acesso a um extenso arquivo documental e audiovisual de materiais teóricos e doutrinários. Que acontece? Pasme-se! Acervo não há, há em vez disso uma página rica de informação publicitária redigida em caracteres japoneses. 

Utilize-se a funcionalidade do tradutor automático (do google ou outro) para melhor compreender a “riqueza e a substância doutrinaria e ideológica” de tal “biblioteca vermelha”. 

Facilmente se compreende que se trata de uma página de propaganda a um método de tratamento contra a queda do cabelo implementado por uma clínica japonesa. Trata-se certamente de um método “revolucionário” de combater a queda do cabelo, só assim se compreende que do ponto de vista da seita que tomou conta do partido este seja o “conteúdo doutrinário” que disponibiliza. É lamentável ver o partido a definhar, não apenas na sua fraquíssima ligação ao exterior, ao país, aos trabalhadores, mas também no total abandono interno - sem gente, sem energia, sem ideologia, sem rumo. 

RA

Director: Carlos Fidalgo - carlos.fidalgo.10@sapo.pt