banner

Dinossauros Liquidacionistas  

16. 06. 10

Caros camaradas

Em primeiro lugar quero agradecer aos camaradas e/ou amigos do Partido que decidiram abrir este espaço de denúncia/debate dentro do Partido. Este espaço, que deveria estar remetido ao órgão central, hoje pasquim Luta Popular e às sessões organizadas pelo Partido, de debate e discussão ideológicas encontra-se, na medida do que me é possível interpretar, sequestrado por alguns elementos que fazem - ou na sua maioria fizeram - parte do Partido, e que apareceram de repente sabe-se lá de onde, sem que tenham feito absolutamente nada em prol do partido durante décadas!

Este sequestro por antigos elementos do Partido é ainda mais claro quando vemos ao abandono ou até mesmo atirados para o esquecimento os elementos que se aproximaram do Partido ao longo dos últimos 20 anos, como é o meu caso. E são-no porque esta escumalha que acaba de tomar o partido de assalto não tem sequer conhecimento dos inúmeros amigos e camaradas que aderiram ao Partido e que são o seu futuro! No fundo, os sequestradores são os verdadeiros liquidacionistas do Partido! São bases que se perdem, e um futuro que se hipoteca.

Desde que me aproximei do partido, há mais de 15 anos, participei, na medida das minhas possibilidades devido ao trabalho precário que era obrigado a ter, em incontáveis acções de campanha, distribuição de comunicados e outra propaganda do partido em fábricas, bairros e universidades. Hoje podemos dizer que o partido continua a desenvolver estas actividades próximas das massas? Não me parece!

Hoje vejo-me (e pelos artigos publicados nas Mentiras do Arnaldo não sou o único) isolado, e esquecido pelo partido que dediquei mais de uma década a lutar por ideais que ainda são, e serão sempre os meus. Mal ou bem, com maiores ou menores defeitos, meus ou da direcção do Partido, sempre desempenhei as tarefas que me foram atribuídas. Solidarizo-me com os camaradas do Comité de Sintra, e com os camaradas aos quais nem é reconhecida a sua militância que, ainda que curta no tempo, sempre deram tudo o que tinham ao Partido, e que tal como eu se encontram remetidos a um desprezo vil, mas que com coragem, não se calam.

 

A aceitação desta situação levará ao colapso do partido, e deste modo ao seu esquecimento, algo que não podemos aceitar!

Director: Carlos Fidalgo - carlos.fidalgo.10@sapo.pt