banner

Esquecimento deliberado ou inversão dos valores comunistas Marxistas-Leninistas?

in Arquivo
16. 12. 29

pensamentoapagado

Esquecimento deliberado ou inversão
dos valores comunistas Marxistas-Leninistas?

Mais uma vez, como já vem sendo hábito, uma data na história do PCTP/MRPP foi esquecida ou deliberadamente esquecida, principalmente por quem hoje se arroga de “dono disto tudo”.

Os dias 26,27 e 28 de Dezembro de 1976, data do Congresso da fundação do partido, foi simplesmente ignorada e talvez votada ao ostracismo, sem qualquer menção no jornal pseudo comunista Luta Popular.

Além das referências, poucas, nas chamadas redes sociais, as tais que o “pequeno ditadorArnaldo Matias de Matos proibiu os seus lacaios de frequentar e muito menos de comentar, lá foram um pouco à revelia, mencionando essa data histórica na vida de qualquer partido.

Este assunto não é virgem, pois já outras datas, igualmente importantes na vida dos verdadeiros comunistas, foram “deixadas” no esquecimento, e como só o “chefe supremo” tem direito a bolsar aquelas infantilidades, agora menos, no jornal que deveria ser a voz dos explorados e oprimidos, é evidente que mais nenhuma voz se levantou para criticar esta ou qualquer outra omissão, pois estaria sujeita à repressão e possível expulsão do partido.

Os acusadores, daqueles que eles chamam de “liquidacionistas”, se porventura tivesse havido uma falha de quem legitimamente estava à frente do partido até 06 de Outubro de 2015, aqui del’rei!

Nunca os chamados “liquidacionistas”, anti-comunistas primários e analfabetos se esqueceram desta e de outras datas importantes, fazendo referência e comemorando o simbolismo de um 1º de Maio, um 18 de Setembro, um 9 e 12 de Outubro, o dia 26 de Dezembro e outras que são significativas na vida de um partido Comunista e principalmente estas, na vida do PCTP/MRPP.

Os pseudo defensores das liberdades, deveriam preocupar-se antes de tudo, com essa mesma falta de liberdade e medo que começou a existir a partir de Outubro de 2015, alguns move-os objectivos que até agora não foram capazes de exprimir, outros, ainda vão caindo na “canção do bandido” sempre papagueada pela mesma personagem que diz o que lhe apetece e da maneira que lhe apetece, sem ser contrariado por aqueles que dizem ser os “verdadeiros comunistas”.

Quando se sabe que no princípio do século XX, todos os movimentos que defendiam uma teoria baseada nos ensinamentos de Marx e Engels, e a tentaram levar à prática com o fim da exploração do homem pelo homem, é evidente que num caminho por desbravar, se cometem erros e se aprende com esses mesmos erros, por isso, é uma ofensa a quem se atreveu a trilhar esse caminho, vir agora dizer, que a Revolução Russa e Chinesa não deveriam ter sido feitas daquela maneira!

Dizemos nós: Coitados do Lenine e do Mao Tsé-Tung, que não tinham lá, o Arnaldo Matias de Matos para os aconselhar!

Como é que uma “alminha” destas se atreve a renegar e a “ensinar” estes grandes pensadores?

Talvez por este comportamento esquizofrénico, se conclua, que afinal até está certo o “esquecimento” destas datas, outrora relevantes, por parte de Arnaldo Matias de Matos!

Redacção de “As Mentiras do Arnaldo”

Director: Carlos Fidalgo - carlos.fidalgo.10@sapo.pt