banner

A diferença tem que existir, pois então!

in Arquivo
16. 12. 27

amcp

A diferença tem que existir, pois então!

No seguimento de uma notícia por nós publicada em 6 de Dezembro de 2016, onde denunciámos e apresentámos as provas de que um “emérito comunista” se deu ao luxo de gozar as suas “merecidas” férias durante 15 dias no Vidago Palace, e que importaram na “pequena” quantia de quase 6.000 euros, não quisemos fechar esta informação sem publicar a totalidade dos factos.

Quando Arnaldo Matias de Matos se deslocou para essas férias não o fez sozinho, pois como um bom burguês, levou o seu motorista particular Carlos Paisana, conduzindo um Mercedes topo de gama, para o levar até ao local desejado.

Como uma dupla bem conhecida, descrita por Miguel de Cervantes, assim também Arnaldo o D. Quixote de la “Massa” não se deslocaria sem o seu fiel escudeiro Paisana “Santo” Pança.

Ora, o que aqui queremos realçar e com provas é que no período de 07 a 14 de Agosto de 2015, o seu fiel escudeiro foi desterrado para a “estrebaria” da Pensão Resineiro, pois não se poderia pensar que um simples criado ousasse passar este tempo das férias do seu “nobre senhor” no mesmo local.

E para acentuar as devidas diferenças entre a “nobre” linhagem de Arnaldo, D. Quixote de la “Massa” e o seu simplório escudeiro, Paisana “Santo” Pança, este ocupou e pagou durante a sua estadia, a “exorbitante” quantia de 210 euros, o que nos faz sublinhar que a diferença de linhagem da burguesia para o simples criado primário, ficou bem revelada, já que, enquanto este último gastou durante 7 dias a quantia de 210 euros, esta mesma importância “só” dava para pagar 1 dia do quartito no Vidago Palace.

Como podem ver mais abaixo na respectiva factura, isto só denota e vem dar razão ao velho provérbio:

FAZ O QUE EU DIGO, NÃO FAÇAS O QUE EU FAÇO!

 

Lê também:
O choradinho de Arnaldo Matias de Matos

 

2015 08 14 resineiro page 001

Director: Carlos Fidalgo - carlos.fidalgo.10@sapo.pt