banner

O choradinho de Arnaldo Matias de Matos

in Arquivo
16. 12. 06

O choradinho de Arnaldo Matias de Matos

Sabemos como ninguém, que as tretas publicadas no pasquim em que se tornou o órgão do PCTP/MRPP, o jornal online Luta Popular, só são “entendidas” pelos seus correligionários, pois estes, por obediência cega, endeusamento e comungando alguns dos mesmos males do seu chefe, não conseguem discernir o que é disciplina partidária de autoritarismo.

Arnaldo Matias de Matos vendo que o seu “reinado” como “afundador” do PCTP/MRPP está a chegar ao fim, vem agora dar uma de coitadinho, de perseguido, de discriminado, de negro da política, vem sem qualquer dúvida, comiserar para a praça pública, não se coibindo de atacar tudo e todos, desde os “malditos” dos jornalistas vendidos ao patronato e ao imperialismo até ao seu principal “inimigo de estimação”, António Garcia Pereira.

Já dissemos mais do que uma vez, que quem é social nas palavras e fascista nos actos só tem um nome, que o partido sempre denunciou e apodou de social-fascistas!

Diz Arnaldo Matias de Matos, entre outras coisas, que vive na mesma casa há 50 anos, não tem carta de condução e não tem carro, não tem dinheiro, não tem férias e não tem vergonha, dizemos nós!

Porque se tivesse um pingo de vergonha, não dizia as monstruosidades que diz no seu editorial de 28 de Novembro de 2016, com mais umas adendas para completar o rol de mentiras, pois este velho decrépito vomita mais uma enxurrada de vitupérios que não abonam em nada o seu autor, diz que não tem carro e carta de condução, argumentamos nós, porque nunca foram necessários, já que tinha os “escravos” dos militantes a servirem de motoristas para o levar a qualquer lugar, e arrepiem-se os nossos leitores, porque este “doutor advogado comunista” tinha o desplante de exigir que o fossem buscar à sua residência, um andar feito de “canas de bambu e folhas de palmeira” na Avenida 5 de Outubro, para o levarem 800 metros até ao seu escritório.

Em qualquer deslocação, quando convidado do partido, era sempre exigido um veículo de marcas conceituadas, tipo Mercedes e BMW, porque sua “excelência” não se dignava a viajar como qualquer trabalhador que se desloca no seu veículo utilitário.

vidago palace 01Diz esta peça carunchosa, que o seu “inimigo de estimação” tem barcos e moradia luxuosa, teria muita razão Arnaldo Matias de Matos se, o “grande educador” fazendo jus à sua “classe proletária e operária” fosse passar férias para qualquer parque de campismo deste país e não para o Hotel Vidago Palace & Spa, que como anteriormente já divulgámos, importou na módica quantia de quase 6.000 euros por 15 dias, o que dada a mentira vergonhosa da sua afirmação em dado momento, de que no ano de 2015, até nem gozou férias, deixamos neste texto a prova de que Arnaldo Matias de Matos é um mentiroso compulsivo, para que os nossos leitores e apoiantes se certifiquem de quem afinal, é que diz a verdade.

Como o povo diz, quem tem telhados de vidro, não deve atirar pedras!

Não estamos aqui, nem pouco mais ou menos, para defender qualquer jornal, qualquer jornalista e muito menos os detentores destes órgãos, mas como só a verdade é revolucionária, também achamos que temos o dever de informar correctamente os nossos leitores e apoiantes, porque no jornal do partido não é possível o contraditório, já que Arnaldo Matias de Matos não o consente.

Quando este na sua prosa se destrambelha, atirando em todas as direcções, e vem com a conversa do infeliz que não tem qualquer cargo no PCTP/MRPP em mais de 30 anos, felizmente dizemos nós, olhem só os nossos leitores se ele tivesse à frente do partido, não estando fez o que fez, se tivesse, o que teria feito?

Certamente o PCTP/MRPP já teria deixado de existir há muito tempo!

Diz o “grande educador da classe operária”, que sendo uma pobre vítima, não se revê nos vários artigos escritos na imprensa nacional!

Pois é! Só se revê na bajulação, na obediência cega e nos lambe-cús que vão vomitando as costumadas brejeirices, dos já habituais Carlos Alberto Alves, Luís Júdice, João Morais, Luminoso Futuro (?), Fernando Firmino, Carlos Pais, Álvaro de Abreu, João Pinto, Maria Paula, Gabriela, o seu lulu Carlos Paisana, Alberto Lopes, Viriatos e quejandos.

As seitas funcionam desta forma, seguem incondicionalmente o seu mentor, sem nunca o contestar ou contrariar, o que dentro daquilo a que alguns ainda vão chamando de partido comunista, é de bradar aos céus, porque sempre foi apanágio dos marxistas-leninistas, liberdade de expressão, discussão aberta e acima de tudo considerar qualquer ideia de um trabalhador ou operário, como um contributo válido na luta entre a classe operária e o capital.

A mania da perseguição de que Arnaldo Matias de Matos se queixa, de que os jornalistas da imprensa burguesa estão todos contra ele, só revela uma mente doentia, pois Arnaldo “esquece-se” que esteve longe das luzes da ribalta, e sem qualquer intervenção de fundo nas várias lutas que o partido apoiou. Quem deu a cara nessas ocasiões também foi atacado pelas posições assumidas pelo partido na defesa dos operários e trabalhadores, pelas suas posições pessoais, pelas circunstâncias do seu desempenho profissional e por simplesmente pertencer e militar no PCTP/MRPP.

Quando Arnaldo Matias de Matos ataca, neste caso concreto o jornalista de nome Marujo, de que este teria tomado uma posição parcial numa hipotética luta partidária, também se está a “esquecer”, palavras do jornalista, que houve uma tentativa de contacto por vários meios a Arnaldo Matias de Matos, sendo infrutíferas todas as tentativas.

Arnaldo Matias de Matos está a queixar-se do quê?

Quando duas partes estão em conflito, para quem desempenha o seu trabalho de uma forma profissional, logicamente que está interessado em ouvir as várias opiniões e que os leitores tirem depois as suas conclusões.

Quando não queremos ser questionados pelo nosso comportamento, uma boa medida, além de se fazer de vítima, é desviar as atenções daquilo que é o motivo principal pelo qual estamos a ser confrontados, e Arnaldo Matias de Matos aqui sim dá cartas, e como raposa velha e sabida consegue “convencer” os seus apaniguados de que é uma vítima perseguida por racismo político, um coitadinho e um infeliz.

eurosNão diz é aos seus poucos correligionários que em treze meses, só de subvenção atribuída ao partido recebeu mensalmente 14.300 euros, o que como dizia o outro, é só fazer as contas, mas nós também sabemos fazer contas e Arnaldo Matias de Matos embolsou para o seu pecúlio 185.900 euros desde que se apossou do partido, já desbaratou dinheiro em eleições que não trouxeram nada ao partido nem à luta dos trabalhadores, mas pelo contrário, deram frutos à sua vida particular e profissional, tendo mudado de escritório para uma zona mais central perto do Marquês de Pombal, mais concretamente para a rua Mouzinho da Silveira, nº 27-3º andar!

Quem pagou o novo escritório? Foi o “pobretanas” do Arnaldo Matias de Matos?

Nada disso!

A subvenção que o partido recebe, depois do trabalho anti-comunista e liquidacionista executado pelos vários elementos, que fazendo um “mau” trabalho junto das massas, assim a conseguiram, serve-se agora dela Arnaldo Matias de Matos para as suas extravagâncias e loucuras pseudo comunistas, imputando o ineficiente e mau trabalho dele próprio e dos seus apaniguados, aos analfabetos anti-comunistas e liquidacionistas que dirigiram o partido nestes mais de 30 anos, em que o partido subsistiu com quotização, recolha de fundos e muito, muito trabalho!

Não fazemos aqui a defesa de quem quer que seja, mas acima de tudo somos pela verdade, pois só ela é revolucionária, e por isso as mentiras que Arnaldo Matias de Matos expele não podem passar sem o contraditório, e em mais uma patranha, quando afirma que António Garcia Pereira se quis apossar do lugar de Secretário-Geral do partido, temos que repor a verdade daquilo que realmente se passou.

Durante mais uma esquizofrénica briga, que teve logo após as Eleições da Madeira em 2015, com o Secretário-Geral Luís Franco, “decidiu” que este elemento, a quem ele chama constantemente analfabeto, não devia continuar neste papel e o lugar devia ser preenchido por António Garcia Pereira, que antes de ser apodado de papagaio e anti comunista primário, não era analfabeto, mas sim doutor!

Arnaldo Matias de Matos, mais uma vez vem cuspir uma falsidade, com quantos dentes tem naquela boca suja porque por mais que a lave com lixívia, as mentiras não desaparecem, e a das Eleições da Madeira de 2015 é mais uma a juntar ao rol. Este asqueroso pseudo comunista, também diz que só tomou conhecimento da despesa de 70.000 euros gastos nestas eleições há pouco tempo e que não lhe causa admiração, pois as várias “passeatas” e estadias de António Garcia Pereira e da mulher contribuíram para essa despesa, o que este pulha se “esquece” de dizer aos mentecaptos da sua seita é que com a mania do seu célebre “livrinho” que foi sendo editado às prestações, causando um maior custo, não só chegava aos bochechos à ilha da Madeira e Porto Santo, quando por insistência deste indivíduo torpe, o partido estava constantemente a enviar mais “livrinhos” e a pagar balúrdios no seu transporte.

Desculpamos Arnaldo Matias de Matos porque, a senilidade, a falta de memória, a esquizofrenia e a mentira compulsiva, tudo nos leva a crer, não é recente, mas agora acentuou-se e é normal e típico deste género de escumalha!

Queremos aqui fazer um reparo que poderá tentar explicar, porque é que existindo um Comité Central, um Secretário-Geral e vários Comités Regionais, os membros eleitos se deixaram influenciar e mostraram uma subserviência a esta figura fantasmagórica.

Perguntamos nós: Foi medo, foi o não acreditar nas suas qualidades ou foi outra coisa qualquer, que só os próprios poderão responder!

Também é verdade que os elementos do órgão principal do partido, às tantas poderiam ter ficado confundidos, pois as “ordens” às vezes eram dadas por Arnaldo Matias de Matos outras por Espártaco, e ele no relambório do “seu” jornal, tenta “explicar” da forma que lhe dá mais jeito, o seu comportamento doentio, senil e esquizofrénico!

arnaldocharutoEnquanto sua excelência estava no seu escritório a magicar, os militantes além de serem os seus criados particulares e de fazerem todas as vontades, desde levar os jornais diários e tabaco, serviam também de motoristas particulares e guarda-costas para o levarem a tomar as suas refeições ao Gambrinus e à Adega da Tia Matilde.

Então quem são os traidores?

Talvez Arnaldo Matias de Matos, que durante a campanha para as Eleições Legislativas de 2015 foi o mentor e impulsionador da frase “Morte aos Traidores”, frase esta que serviria para palavra de ordem da campanha, retirada e recolocada em mais uma atitude extravagante, dizíamos nós, que talvez estivesse já a fazer futurologia e adequá-la ao seu futuro desempenho.

Como é que este “comunistaburguês tem o desplante de atacar alguém, se ele na prática, não executa o que lhe sai da boca, de dialéctica marxista-leninista?

Como já demonstrámos por diversas vezes, o que aqui afirmamos, além de o poder provar, não é o denegrir de uma personagem, mas o dever de repor a verdade para que todos aqueles que se interessam por um verdadeiro partido comunista marxista-leninista, não comam gato por lebre!


A Redacção das “Mentiras do Arnaldo

 

 AS FÉRIAS DE UM "COMUNISTA"

vidago15 1 page 001 

Director: Carlos Fidalgo - carlos.fidalgo.10@sapo.pt