banner

As datas excomungadas do pasquim em que se tornou o “Luta Popular”

in Arquivo
16. 10. 12

ribeirosantos alexandrinodesousa

As datas excomungadas do pasquim em que se tornou o “Luta Popular”

Foi há tempos denunciado, pelo nosso colaborador Asdrúbal Mil-Folhas, em poesia cáustica e bem direccionada, o olvidar de uma data, talvez a mais significativa na vida do PCTP/MRPP, já que é a data da sua fundação, 18 de Setembro.

Não nos admirou o “esquecimento” desta data assim como também mais duas que se seguiram, estas sim, com um significado bem vincado na vida do partido, pois são datas de homenagem a dois valorosos defensores da ideologia marxista-leninista, que perderam a vida defendendo os seus ideais.

9 e 12 de Outubro, datas em que morreram respectivamente Alexandrino de Sousa e Ribeiro Santos, sendo-lhes prestada a merecida homenagem sempre no dia 12 de Outubro com a romagem ao cemitério da Ajuda, onde repousam os seus restos mortais.

Sobre a notícia da data da fundação, assim como o tributo expresso no dia 12 de Outubro, o pasquim em que se tornou o órgão por excelência na divulgação da ideologia e das notícias aos seus militantes, o “Luta Popular”, NADA ASSINALOU, nem em grande ou pequeno destaque!

Aos adoradores de Arnaldo Matias de Matos, isto não vos faz confusão? Não vos incomoda?

Não deve fazer e até devem achar muito natural, pois quem segue este energúmeno tem que ter o mesmo pensamento e o mesmo comportamento, a não ser assim estão sujeitos a que lhes aconteça o mesmo que aos chamados “liquidacionistas”, e a cujo preâmbulo foi dado assistir na “homenagem” do ano de 2015, onde Arnaldo Matias de Matos, com a desculpa da justa homenagem, preparava raivosamente o assalto ao PCTP/MRPP!

Agora foram as datas simbólicas a serem excomungadas, mas desenganem-se os seguidores, porque o “papa” da seita, a seguir far-lhes-á o mesmo!

Carlos Fidalgo

Leia também:
18 de Setembro de Luto

Director: Carlos Fidalgo - carlos.fidalgo.10@sapo.pt