banner

Encontro de um simpatizante com um militante

in Arquivo
16. 09. 18

conceito do ponto de interrogao 26143191

Recebemos de um nosso leitor do Porto o seguinte texto:

ENCONTRO DE UM SIMPATIZANTE COM UM MILITANTE

Foi há relativamente pouco tempo, andava eu a passear quando tive um encontro inesperado.

Inesperado porque, sabendo eu que o João Pinto era militante do PCTP/MRPP e seu profissional, já há bastante tempo que o tinha deixado de ver por estas paragens junto à capital nortenha.

Do trabalho político do partido também não havia notícias e eu confrontei-o perguntando o que era feito dele, porque nunca mais tinha tido qualquer notícia, nem dele nem do partido.

Respondeu-me acabrunhado e até triste, que ele e a família se tinham mudado da Póvoa do Varzim para a zona de Aveiro, não me parecendo o mesmo indivíduo com quem eu falava há uns tempos atrás.

Conversa puxa conversa e depois de eu o ter interpelado pela ida para aquela zona, lá me foi dizendo um pouco a medo, que a situação do partido não era a melhor e a dele em particular não era lá muito famosa, já que estava a passar por muitas dificuldades.

Ao que eu perguntei, ides para uma zona diferente para melhorar a vossa vida ou fostes obrigados a ir?

Tentando não responder directamente à minha pergunta lá foi dizendo que a situação por vezes tem que ser alterada, a bem do partido e dos trabalhadores e que exige aos seus militantes certos sacrifícios.

Despedi-me dele tentando confortá-lo e perguntando-lhe porque é que um artigo que ele tinha escrito para o jornal Luta Popular, tinha lá estado durante um certo tempo e depois passados uns dias quando visitei novamente a página do partido, já lá não o encontrei.

Não me quis dar qualquer explicação, justificando que já estava atrasado para o transporte e que noutro dia falaríamos.

Perante este encontro, fiquei com muitas dúvidas quanto à sua situação financeira e se ainda continuaria a ser profissional do partido ou até mesmo militante, pois aquele João Pinto eufórico e entusiasmado que eu conheci, transformou-se num indivíduo desiludido e triste.

Um leitor do Porto, devidamente identificado.

António Vicente

Director: Carlos Fidalgo - carlos.fidalgo.10@sapo.pt